Contato
(61) 98427-8832
contato@grupogestaoconsultoria.com
CEFTRU
Campus Darcy Ribeiro - UnB
Soluções
  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White LinkedIn Icon

Copyright © 2016 Grupo Gestão Soluções Empresariais

Case Halbe

Como o Plano de Negócios é essencial para a consolidação de uma grande ideia em uma grande empresa.

Introdução

 

A busca por um estilo de vida saudável e por uma qualidade de vida mais elevada mostra-se como fator de preocupação para uma crescente parcela dos brasileiros. Assim sendo, o mercado de produtos orgânicos, àqueles que apresentam um sistema produtivo totalmente livre do uso de fertilizantes sintéticos, agrotóxicos, reguladores de crescimento ou aditivos sintéticos para a alimentação animal, apresenta-se potencialmente em expansão.

 

Além da preocupação com questões de ideias mais saudáveis, o cultivo orgânico valoriza o meio ambiente e o uso consciente dos recursos naturais não renováveis. Seguindo esta linha, o público vegano opta por uma alimentação livre de derivação animal e expande-se para setores de cosméticos, vestuário, higiene pessoal, entre outros, com o intuito de promover a proteção do direito animal.

 

Desta maneira, diante da demanda crescente por este tipo de produto, ainda se mostra em minoria estabelecimentos que ofereçam itens orgânicos e veganos e, principalmente, aqueles que possuem preços acessíveis. O Brasil ainda não possui pesquisas sobre o crescimento do veganismo, porém, baseando-se em fatos de outros países e trazendo para a nossa realidade, é estimado que o país possua atualmente cerca de 5 milhões de veganos e com crescimento constante de 40% ao ano.

 

Neste cenário, a Associação Vegânica identifica-se com uma proposta de atender a demanda deste público crescente, disponibilizando produtos de qualidade, orgânicos e veganos, a preços mais acessíveis que a média do mercado, tendo em vista que objetiva ser uma instituição sem fins lucrativos. Além disso, propõe-se a oferecer um espaço afetivo de integração entre o público, ambiente de troca de ideias, alimentação, espaço criança, espaço cultural, brechó, sebo e por fim, espaço para capacitação de pequenos empreendedores.

 

Por tratar-se de um ambiente que almeja integrar múltiplas atividades, fez-se necessário uma estruturação crítica como forma de auxílio para a abertura da Associação. A análise de investimento inicial aliado ao plano financeiro e as estratégias desenvolvidas, tiveram como intuito uma organização mais assertiva e viável do estabelecimento a ser aberto.

 

O presente case, realizado a partir do Projeto para Associação Vegânica, de Janeiro à Fevereiro de 2018, evidencia a forma a qual foi desenvolvido o Plano de Negócios da instituição, bem como de qual maneira os resultados obtidos podem auxiliar no desenvolvimento nos anos subsequentes do Projeto Vegânica, demonstrando também os riscos que podem afetar e maneiras de contorná-los no desenvolvimento da mesma.

Desenvolvimento

O projeto foi executado através da metodologia SCRUM, dividido em Sprints com duração de 05 (cinco) dias para cada plano, de acordo com o cronograma montado pelo gerente da equipe e validado pelos consultores e gerente de Qualidade e Inovação, assim como pelas clientes. A realização seguiu a seguinte ordem: o planejamento estratégico e marketing foram executados em paralelo, e por último o plano financeiro. Ao longo do projeto foram identificados os riscos o que resultou em uma análise para orientar a cliente quanto aos possíveis problemas futuros.

No primeiro momento foi realizada uma entrega após 13 dias do início do projeto. Consistia em um Estudo Orçamentário, levantando os valores necessários para começar a operação da cliente. Junto a esse estudo, também foi entregue uma análise do giro de capital para os primeiros três meses de operação.

A segunda etapa do projeto consistia na elaboração do plano de negócios, dividido em 3 (três) frentes: Estratégico, Marketing e Financeiro.

Ao realizar a análise externa do ambiente, foram consideradas ferramentas utilizadas nos planos estratégico e marketing: Matriz SWOT, 5 Forças de Porter do Plano Estratégico e Mapa Perceptual, do Plano de Marketing. A opção de unir os dois planos torna a análise mais completa e crítica, entendido que eles se complementam para a definição estratégica da empresa.

Através da Matriz SWOT, elencamos os possíveis pontos que podem afetar de forma direta e indireta a Associação. Essa ferramenta é composta pelos itens de forças, fraquezas, oportunidades e ameaças. Em cada tópico, foram abordados fatores que permitiram o início da criação do planejamento estratégico.

Após essa definição, em reunião com o professor orientador do projeto, foi decidido agregar outra ferramenta neste plano, as 5 forças de porter. Através dela, tivemos a oportunidade de analisar a “competição” entre empresas com o mesmo core business da cliente considerando as 5 principais forças competitivas: rivalidade entre os concorrentes, poder de negociação dos clientes, poder de negociação dos fornecedores, ameaça de entrada de novos concorrentes e ameaça de produtos substitutos

 

E ainda, para ter uma analise completa dos concorrentes e dos seus posicionamentos no mercado, optou-se por incorporar o Mapa Perceptual, ferramenta comumente usada no plano de marketing, nessa análise externa. Foram elencados concorrentes com propósitos iguais e não-iguais. A maioria elencada nessa análise possuía apenas o propósito de lucratividade, e poucos tinham a mesma ideologia, de economia solidária, da cliente.

 

Além das ferramentas citadas, também foram utilizadas outras já consolidadas para este tipo de projeto:

  • Plano Estratégico: Canvas de Negócios, MVV (Missão, Visão e Valores), Cadeia de Valor, OMI (Objetivos, Metas e Indicadores), Planos de Ação e SWOT Cruzada;

  • Plano de Marketing: Gerenciamento de Mídias Sociais, Prisma de Identidade Visual, e Personas;

A primeira ferramenta validada com a cliente foi a OMI. Foi realizada por meio de reunião por hangouts, e discutido alguns pontos do que foi desenvolvido até então. Essa ferramenta busca elencar objetivos e metas, considerando indicadores para analisar seus resultados e na elaboração de planos de ação para conseguir atingi-los. Para este projeto, os objetivos foram divididos em perspectivas, a fim de organizar e dar sentido a cada propósito traçado para o futuro da instituição: processos internos, desenvolvimento da associação, clientes e financeiro.

 

Após essa validação, e realizada as devidas alterações propostas, começou-se a pensar mais sobre as ferramentas referenciadas ao marketing. O gerenciamento de mídias sociais foi realizado através de pesquisas sobre alguns estudos relacionados aos horários de picos em determinadas redes e sugeridas três formas de comunicação na web: Facebook, Instagram e LinkedIN. Essa última é vista como um bom meio para atrair microempreendedores dispostos a cooperar com os objetivos da Associação, e movimentar o núcleo de capacitação que a cliente possui como uma das fontes de geração de receita.

 

As personas, algo fundamental para traçar planos de comunicação, foi realizado através de uma pequena pesquisa via internet sobre o comportamento de pessoas adeptas a filosofia vegânica e elencadas três tipos para este projeto: uma empresária, disposta a investir na construção da instituição, uma universitária celíaca, com restrições alimentares e um senhor com sua vida estável e adepto à filosofia proposta.

 

A partir dessa ferramenta validada, passamos a executar o Plano Financeiro. Durante essa etapa a equipe teve algumas reuniões de como seriam realizadas as projeções e como os valores seriam dispostos, visto que a cliente ainda não estava em operação e não existiam informações sólidas e valores consolidados de custos e receitas.

O planejamento financeiro foi entregue em uma Planilha Eletrônica, com um Plano de Contas, Premissas, Análise de Cenários e um Dashboard. A projeção do fluxo de caixa foi realizada até o mês de Dezembro de 2020, considerando as taxas inflacionárias e sazonalidade do negócio, tomados como verdade os dados encontrados durante o planejamento.

 

Com a dificuldade da falta de dados sólidos da operação, considerou-se porcentagens para cada setor que integra a Associação e distribuídas de acordo com a receita esperada pela cliente ao longo do primeiro ano. Os custos, uma parte importante para a projeção, foram calculados a partir da margem de contribuição esperada em cima da receita, sendo possível a edição dessa margem na planilha e uma maleabilidade da cliente para reconsiderar alguns pontos e analisar de forma mais prática suas atividades.

 

Na consolidação do plano financeiro, foram considerados os seguintes indicadores: VPL (valor presente líquido), PAYBACK DESCONTADO (tempo de retorno do investimento) e a TIR (taxa interna de retorno). Todos esses valores foram calculados para os 06 (seis) cenários utilizados na projeção, alertando a cliente sobre alguns pontos de altos custos que estaria tendo logo ao iniciar a operação, com o objetivo de deixá-la ciente sobre os riscos e repensar em decisões sobre seus custos operacionais.

Considerando isso, temos resultados realmente satisfatórios apenas no cenário “otimista”, onde alcança-se um payback positivo durante a análise e um VPL com valor positivo.

Assim, o projeto buscou entregar os melhores resultados para a cliente em cada área do escopo e agregar valor a ela com informações e análises críticas sobre seu negócio. Neste projeto, focou-se muito na elaboração do relatório executivo, com dados e informações relevantes e sustentáveis para a cliente, deixando a operacionalização da planilha, não sendo menos importante, um pouco atrás nos objetivos da equipe ao projeto.

 

Conclusão

A partir da execução das ferramentas apresentadas, assim como salientados os riscos envolvidos, foi desenvolvida uma estruturação para os três futuros anos a partir da inauguração da Associação Vegânica, além de uma análise financeira baseada em cenários.

 

Finalizados estes passos, obtiveram-se como resultados uma análise orçamentária de investimento inicial para abertura do estabelecimento juntamente com um estudo de capital de giro para os primeiros meses de operação. Além disso, o Plano de Negócios, com um plano de marketing focado principalmente em uma análise de ambiente externo; e o plano estratégico, composto pelo desenvolvimento de objetivos e planos de ação aliado a uma planilha de controle de indicadores a fim de manter em dia todas as atividades propostas. Por fim, como produto também obteve-se o plano financeiro baseado em análise de cenários, com ou sem isenção de impostos, além de pessimista, realista e otimista, consolidando-se todas a informações em uma dashboard que incluiu os indicadores de VPL descontado, Payback e TIR.

 

Ademais, considerando-se que a abertura de um negócio demanda várias etapas de organização, principalmente tratando-se de um estabelecimento que deseja oferecer múltiplas atividades, existem riscos envolvidos e necessidades de complementos deste estudo, assim, também como resultado, foi realizada uma análise de riscos e formas de como complementar ou gerenciar tais dificuldades.

 

Assim sendo, com base no desenvolvimento do projeto, a Associação Vegânica poderá usufruir dos resultados demonstrados para guiar o empreendimento desde sua inauguração, prevista para Junho de 2018, e seus posteriores meses de operação de uma maneira mais fluida e planejada com o intuito de atingir os objetivos propostos e atender o público em ascensão.